A transição do 1º ciclo para o 2º Ciclo sem ruptura!

Cada vez mais pedagogos, psicólogos, professores e pais reconhecem a importância e o valor de uma transição suave entre ciclos de ensino, admitindo que esta não pode ser vista como uma severa alteração no paradigma da escola, nem como uma rutura com aquilo que os alunos já conhecem e fazem. É preciso encarar esta mudança com naturalidade, como mais uma etapa do crescimento, exigente, mas tranquila e feliz.

Neste sentido, no Colégio Saint Daniel Brottier defendemos no 1º e 2º ciclos a mesma filosofia, centrada em cada criança, e o mesmo modelo pedagógico que promove a diferenciação na aprendizagem de cada aluno, reconhecendo que as caraterísticas individuais são a riqueza de um grupo e que juntos conseguimos elevar as suas capacidades. A transição para o 2º ciclo , 5º e 6º anos, é feita de forma gradual, dando continuidade a todo o trabalho que se inicia no 1º ciclo.

Se no primeiro ciclo, os alunos crescem a planear, a avaliar e a partilhar as suas descobertas e em que promovemos uma aprendizagem com sentido e significado, respeitando o ritmo e as capacidades de cada um, fortemente motivados pelos seus gostos e interesses, não faz sentido que o segundo ciclo surja como uma rutura a esta forma de estar e de aprender que é chave do sucesso dos alunos. Para tal, continuamos a desenvolver no 2º ciclo projetos de estudo que contextualizam o que os alunos aprendem, o horário é apresentado sob a forma de rotinas de trabalho que estruturam a aprendizagem e mantêm-se os momentos de planeamento e avaliação, que nos ajudam a refletir e a evoluir em conjunto.

É certo que no 2º ciclo aumentam o número de disciplinas e o número de professores e, no modelo tradicional, isso é sinónimo de um ensino segregado e compartimentado entre as várias disciplinas, com cada professor a trabalhar apenas por si. No modelo educativo seguido pelo Colégio Saint Daniel Brottier renegamos essa segregação e mantemos no 2º ciclo o processo de trabalho numa linha construtivista, com a convergência dos currículos e experienciando a verdadeira interdisciplinaridade. Um modelo de trabalho coerente, contínuo e diferenciador dentro do paradigma da educação em Portugal!

Vanessa Almeida – Mestre em educação Básica 1º e 2º Ciclo